quinta-feira, 12 de julho de 2018

Justiça aceita denúncia contra oficiais da PM suspeitos de fraude em Hospital de Niterói

Magistrada mandou expedir mandado de citação e intimação dos oito acusados, estabelecendo o prazo de dez dias para que eles apresentem defesa prévia

Justiça aceita denúncia contra oficiais da PM suspeitos de fraude em Hospital de Niterói - Reprodução Google Maps


Rio - A juíza Tula Correa de Mello, da 20ª Vara Criminal do Rio, aceitou denúncia contra sete oficiais da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro e o administrador da empresa Megabio Hospitalar, acusados de fraude na compra de material para o Hospital da Polícia Militar de Niterói, na Região Metropolitana. A decisão, tomada em março deste ano, não foi divulgada antes em razão de o processo ter sido colocado em segredo de Justiça para não interferir nas investigações.

Os militares são acusados de participarem de processos licitatórios fraudulentos, com o objetivo de beneficiar a empresa Megabio Hospitalar, durante o ano de 2013 e o segundo semestre de 2014, quando estavam lotados no Hospital Central da PM e na unidade hospitalar de Niterói. A Megabio foi contratada em 2014 para fornecer 18 mil kits de substratos fluorescentes para o Hospital da PM de Niterói, embora a totalidade dos produtos não tenha sido efetivamente entregue.

Nesta quarta-feira, a juíza mandou expedir mandado de citação e intimação dos oito acusados, estabelecendo o prazo de dez dias para que eles apresentem defesa prévia.


Entre os acusados estão os coronéis Ricardo Coutinho Pacheco, na época chefe do Estado-Maior Administrativo da Polícia Militar; Kleber dos Santos Martins, Décio Almeida da Silva e Marcelo de Almeida Carneiro; o major Helson Sebastião Barboza dos Prazeres, a capitã Luciana Rosas Franklin, o tenente Dieckson de Oliveira Batista e o empresário Mario Jorge Linhares da Silva, sócio majoritário da Megabio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.