sexta-feira, 27 de julho de 2018

Regras para a prova de vida no Estado do Rio são definidas

Data em que procedimento começará, porém, ainda não foi confirmada


Todos os pedidos para concessão de pensões e aposentadorias serão concentrados na autarquia, que vai uniformizar os procedimentos


O funcionalismo estadual do Rio deve ficar atento: o governo publicou ontem no Diário Oficial as regras para a prova de vida de aposentados e pensionistas. Também foi definido o recenseamento, que inclui o pessoal da ativa. De acordo com o decreto, o procedimento começará este ano — a data, porém, ainda não foi confirmada. De qualquer forma, os inativos que têm vínculo com o Rioprevidência — autarquia responsável pelo pagamento de aposentadorias e pensões do estado — precisam estar preparados. Isso porque, a partir do início da cobrança, todos terão que comparecer à agência do banco pagador de seus benefícios sempre no mês de aniversário.

A comprovação anual de vida é uma das ferramentas para evitar o pagamento indevido de aposentadorias e pensões. Com a medida, o beneficiário só receberá os vencimentos se comparecer ao banco na época que lhe for exigido fazer o procedimento.

Pelo decreto, fica a opção à instituição financeira de disponibilizar a prova de vida pelo caixa eletrônico, por transação específica e utilização de reconhecimento biométrico.


Presença exigida


São exigidas as presenças no recenseamento e prova de vida, exceto nos casos de pensionistas menores de idade. Em caso de falta, o pagamento será suspenso e restabelecido somente quando a pessoa regularizar sua situação.

Casos de ausência


Além dos casos de menoridade civil, é permitida a ausência na prova de vida a portadores de doença grave ou quem tem dificuldade de locomoção, desde que comprovadas. Incluem-se nas exceções as pessoas que residem no exterior e com incapacidade declarada judicialmente. Nessas situações, o representante legal do ativo, aposentado ou pensionista poderá fazer o procedimento.

Procuração


Quem mora fora do país poderá apresentar atestado de vida à representação diplomática brasileira ou por representante legal no Brasil. E para todos os casos de quem não puder comparecer ao banco e optar por um procurador, a regra é: a data da procuração tem que ser superior a três meses de sua apresentação. O documento deve informar os poderes específicos do representante. 

Comprovação do banco


O banco que fizer o recenseamento e prova de vida terá que entregar ao servidor ativo, aposentado e pensionista, ou ao seu representante legal, o comprovante do procedimento. Quem prestar informação falsa ou incorreta será responsabilizado administrativamente e até na Justiça, mais especificamente em âmbito criminal, dependendo do caso.


Veja o decreto na integra:


DECRETO Nº 46.375 DE 25 DE JULHO DE 2018 INSTITUI O RECENSEAMENTO E A SISTEMÁTICA DE COMPROVAÇÃO ANUAL DE VIDA, NO ÂMBITO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, AOS SEGURADOS E BENEFICIÁRIOS DO RPPS ADMINISTRADO PELO FUNDO ÚNICO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. 


O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais, tendo em vista o que consta do Processo nº E-04/161/10600/2018, CONSIDERANDO: - o disposto na Lei nº 5.260, de 11 de junho de 2008, que atribui ao Fundo Único de Previdência Social do Estado do Rio de Janeiro - RIOPREVIDÊNCIA, a competência para a gestão do regime previdenciário próprio dos servidores públicos do Estado do Rio de Janeiro; - o disposto no inciso II, do art. 9º, da Lei Federal nº 10.887, de 18 de junho de 2004, combinado com o art. 1º, inciso I, da Lei nº 9717/1998, e o art. 15, inciso II, da ON MPS/SPS nº 02/2009; - a necessidade de consolidar e manter atualizadas as informações pessoais, funcionais e financeiras dos servidores públicos efetivos segurados do Regime Próprio de Previdência Social - RPPS e seus dependentes; - a importância da melhoria substancial da qualidade dos dados dos servidores públicos e pensionistas objetivando a efetivação de avaliação atuarial fundamentada em base cadastral atualizada, completa e consistente e a garantia na agilidade da concessão de aposentadoria e pensão; - a necessidade de propiciar a adoção de medidas gerenciais relativas à comprovação anual de vida por parte dos aposentados e pensionistas cujos benefícios previdenciários são geridos pelo RIOPREVIDÊNCIA; - a importância da manutenção de cadastro atualizado de aposentados e pensionistas para o desenvolvimento de projetos e serviços que contribuam com a melhoria de sua qualidade de vida; - a necessidade de garantir maior segurança no pagamento dos benefícios previdenciários aos aposentados e pensionistas; e - o contrato em vigor entre o Estado do Rio de Janeiro e a instituição financeira responsável pela prestação dos serviços referentes ao pagamento da folha dos benefícios previdenciários geridos pelo RIOPREVIDENCIA, 


DECRETA: 


Art. 1º - Ficam instituídos o recenseamento e a sistemática de comprovação anual de vida dos servidores ativos, inativos e pensionistas, cujos benefícios previdenciários são geridos pelo RIOPREVIDÊNCIA, visando aprimorar os dados cadastrais e o controle de pagamento dos benefícios. CAPÍTULO I DAS DEFINIÇÕES 


Art. 2º - Para os efeitos deste Decreto considera-se: I - servidor ativo: servidor público estadual, titular de cargo efetivo, vinculado ao RPPS do Estado do Rio de Janeiro, que esteja em atividade; II - aposentado: servidor inativo, vinculado ao RPPS do Estado do Rio de Janeiro, incluindo os militares da reserva remunerada e os militares reformados do Poder Executivo Estadual; III - pensionista: beneficiário de pensão previdenciária, vinculado ao RPPS do Estado do Rio de Janeiro; IV - instituição financeira: banco contratado pelo Estado do Rio de Janeiro para prestação dos serviços referentes ao pagamento da folha dos benefícios previdenciários; V - recenseamento: procedimento mediante o qual os servidores ativos, inativos e pensionistas, especificados nos incisos I, II e III, realizarão a atualização de dados pessoais, funcionais e/ou financeiros; VI - comprovação anual de vida: sistemática mediante a qual os servidores inativos e pensionistas, especificados nos incisos II e III, realizarão, anualmente, prova de vida.CAPÍTULO II DO RECENSEAMENTO 


Art. 3º - Os servidores ativos, inativos e pensionistas, especificados nos incisos I, II e III do art. 2º, deverão realizar recenseamento, de acordo com os parâmetros definidos em Resolução Conjunta RIOPREVIDÊNCIA/SEFAZ. Parágrafo Único - O recenseamento é obrigatório e de responsabilidade dos segurados constantes do caput e, no caso dos servidores ativos, também dos respectivos órgãos setoriais de recursos humanos.


Art. 4º - O recenseamento será realizado conforme procedimento definido em Resolução Conjunta RIOPREVIDÊNCIA/SEFAZ. CAPÍTULO III DA COMPROVAÇÃO ANUAL DE VIDA 


Art. 5º - Os servidores inativos e pensionistas, especificados nos incisos II e III, do art. 2º, deverão realizar, anualmente, no mês de seu aniversário, a partir do ano de 2018, a comprovação anual de vida. 


Art. 6º - A comprovação anual de vida será de responsabilidade dos servidores inativos e pensionistas, que deverão dirigir-se às agências da instituição financeira, de acordo com calendário a ser amplamente divulgado pelo RIOPREVIDENCIA. Parágrafo Único - Fica facultado à instituição financeira, alternativamente, disponibilizar aos servidores inativos e pensionistas, a comprovação de vida via equipamento de autoatendimento, mediante transação específica e utilização de reconhecimento biométrico. 


Art. 7º - Os servidores inativos e pensionistas que não realizarem a comprovação anual de vida terão o pagamento de seus benefícios suspenso. Parágrafo Único - O pagamento será restabelecido quando da regularização da comprovação anual de vida, com reposição dos valores devidos durante o período em que tenha vigorado a suspensão. 


Art. 8º - Os servidores inativos e pensionistas que residirem no exterior deverão realizar a comprovação anual de vida mediante apresentação de atestado de vida perante representação diplomática brasileira ou mediante representante legal no Brasil, conforme definido em Resolução Conjunta 


RIOPREVIDÊNCIA/SEFAZ. 
CAPÍTULO IV DAS DISPOSIÇÕES GERAIS E FINAIS 


Art. 9º - O recenseamento e a comprovação anual de vida deverão ser realizados pessoalmente, salvo nas hipóteses de menoridade civil; doença grave ou dificuldade de locomoção, devidamente comprovadas; de incapacidade declarada judicialmente e de residência no exterior. § 1º - Nas hipóteses ressalvadas no caput, o representante legal do servidor ativo, inativo ou pensionista poderá realizar os procedimentos regulados por este Decreto. § 2º - No caso de constituição de procurador, a procuração deve ser constituída mediante instrumento público, com data não superior a 3 (três) meses de sua apresentação, conferindo ao procurador poderes específicos para representar o servidor ativo, inativo ou pensionista nos procedimentos regulados por este Decreto.


Art. 10 - Nos casos em que o recenseamento ou comprovação anual de vida for realizado pela instituição financeira, esta fornecerá ao servidor ativo, inativo ou pensionista, ou ao seu representante legal, comprovante específico da realização do procedimento. 


Art. 11 - O servidor ativo, inativo e pensionista, ou seu representante legal, que prestar informação falsa ou incorreta será responsabilizado penal e administrativamente. 


Art. 12 - Os casos omissos serão dirimidos por meio de Resolução Conjunta RIOPREVIDENCIA/SEFAZ. 


Art. 13 - Este Decreto entrará em vigor na data da sua publicação. 


Rio de Janeiro, 25 de julho de 2018 
LUIZ FERNANDO DE SOUZA 



Fontes:  O DIA / D.O.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

"O Estado não tem poder algum sobre a palavra, as idéias e as convicções de qualquer cidadão dessa República e de profissionais dos meios de comunicação social." (Ministro Celso de Mello - Supremo Tribunal Federal) - Se identifiquem por gentileza, comentar não é crime!MUITO IMPORTANTE: O foco do movimento é a DIGNIDADE. E é para esse objetivo que o blog existe. Por isso, comentários que não compartilhem do mesmo objetivo poderão ser removidos. Não podemos publicar ofensas! Não insista! Defenda sua ideia ou crítica de forma respeitosa.