terça-feira, 13 de novembro de 2018

Witzel anuncia sete secretários, incluindo polícias Civil e Militar

Governador eleito já anunciou 9 secretarias e a direção do Procon. Secretaria da Casa Civil será transformada em Secretaria de Governança.


O governador eleito do Rio de Janeiro Wilson Witzel anunciou nesta terça-feira (13) sete novos secretários para o governo entre 2019 e 2022. Como prometido durante a campanha, o governador vai acabar com a Secretaria de Segurança. As polícias Civil e Militar ganham status de secretarias.
Foram anunciados os seguintes nomes:
  • Polícias Civil e Militar - respectivamente, o delegado Marcus Vinícius Braga, que deixou, nesta terça-feira (13) o cargo de Diretor Geral de Polícia Especializada (DGPE) e o coronel Rogério Figueiredo de Lacerda, atual coordenador das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs).
  • Governança - é o novo nome da secretaria da Casa Civil que será coordenada por José Luis Zamith, atual coordenador-geral da transição do governo Luiz Fernando Pezão para o governo eleito no dia 28 de outubro.

  • Controlador-Geral do Estado - foi nomeado o delegado da Polícia Federal Bernardo Cunha Barbosa
  • Procurador-Geral do Estado - será o advogado e atual integrante dos quadros da Procuradoria Marcelo Lopes da Silva.
  • Desenvolvimento Econômico e Geração de Emprego e Renda - o advogado tributarista Lucas Tristão vai ocupar a pasta.

Na semana passada, o governador eleito já havia divulgado os nomes de Gutemberg de Paula Fonseca para a Secretaria de Governo, de Otavio Leite para o Turismo, Sérgio Aureliano para diretor-presidente do Rio Previdência e de Cássio Coelho para diretor do Procon.
Veja quem é quem no novo governo do Estado do Rio.

Governança

José Luís Cardoso Zamith - tem 46 anos e é consultor de empresas, mestre em administração pública pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), mestre em gestão pelo TRIUM Global EMBA - curso oferecido pela New York University, HEC e London School of Economics. Foi da Marinha de 1990 a 2007 e é capitão de Corveta e fuzileiro naval da Reserva.

Desenvolvimento Econômico e Geração de Emprego e Renda

Lucas Tristão - tem 31 anos e é advogado tributarista, especialista em recuperação de empresas e administração de passivo fiscal. Se formou na Universidade de Vila Velha, onde foi aluno do então professor Wilson Witzel, e atuou como advogado em toda a Região Sudeste.

Polícia Civil

Marcus Vinícius Braga - tem 47 anos e é atualmente diretor do Departamento Geral de Polícia Especializada (DGPE). Ingressou na Polícia Civil como inspetor em 2002 e é delegado no RJ desde 2003. Já comandou delegacias distritais e especializadas, como a Coordenadoria de Operações Especiais (CORE) e as delegacias de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC), de Combate às Drogas e de Roubos e Furtos de Automóveis (DRFA).

Polícia Militar

Rogério Figueiredo de Lacerda - tem 48 anos e é coronel da Polícia Militar. Atualmente ocupa o cargo de coordenador das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs). Ele tem especializações em Comunicação Social, Educação Física, além de MBA em Gestão de Segurança Pública.

Defesa Civil e Corpo de Bombeiros

Roberto Robadey Jr. - tem 49 anos e é coronel do Corpo de Bombeiros, bacharel em Direito pela Universidade Federal Fluminense (UFF) e tem pós-graduação em Defesa Civil e especialização em Combate a Incêndio Florestal. Ajudou a implantar e coordenar Defesas Civis Municipais em cidades do interior do RJ (Cordeiro, Cantagalo e Macuco). É o atual comandante geral do Corpo de Bombeiros e secretário da Defesa Civil.

Controladoria Geral do Estado

Bernardo Cunha Barbosa - tem 45 anos e é delegado da Polícia Federal. Atuou em casos de desvios de recursos públicos no Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia e Minas Gerais. Tem graduação em Ciências Navais, pela Escola Naval, e em Direito, pela UERJ. É especialista em Criminologia pelo Instituto Superior do Ministério Público-RJ. Atualmente cursa pós-graduação em Direito Tributário na Fundação Getúlio Vargas. É professor da Escola Nacional de Delegados da Polícia Federal.

Procuradoria-Geral do Estado

Marcelo Lopes da Silva - tem 50 anos e é procurador do Estado do Rio de Janeiro desde 1998 e já foi promotor de Justiça.

FONTE: G1