quinta-feira, 3 de janeiro de 2019

Discurso de Witzel gera expectativa positiva entre o funcionalismo

O discurso de posse do governador Wilson Witzel gerou expectativa positiva entre representantes do funcionalismo, principalmente da área da Segurança Pública. Ao assumir ontem o cargo na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), Witzel se comprometeu a valorizar os servidores, aposentados e pensionistas estaduais.
"Aos servidores públicos, aposentados e pensionistas do Estado do Rio de Janeiro: minha homenagem e minha solidariedade. Podem ter certeza de que tudo farei para melhorar as condições de trabalho e resgatar a sua dignidade e a de suas famílias", afirmou.
Presdiente do Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Rio de Janeiro (Sindpol-RJ), Marcio Garcia acredita que a expectativa é não mais viver problemas como os passados na gestão de Luiz Fernando Pezão, afundado em crise que resultou em meses de atrasos de salários.
Expectativa
O presidente do sindicato afirmou ainda que o funcionalismo espera sim pela valorizado por parte da nova administração. "A palavra é esperança. Vivemos a expectativa de dias melhores e de valorização para os servidores públicos do Rio", declarou Marcio Garcia. No discurso, o governador destacou a criação de um conselho de segurança pública para fortalecer o trabalho das polícias.
Expectativa
O presidente do sindicato afirmou ainda que o funcionalismo espera sim pela valorizado por parte da nova administração. "A palavra é esperança. Vivemos a expectativa de dias melhores e de valorização para os servidores públicos do Rio", declarou Marcio Garcia. No discurso, o governador destacou a criação de um conselho de segurança pública para fortalecer o trabalho das polícias.
Reunião
Passada a posse, Marcio Garcia aguarda que o governador Wilson Witzel cumpra promessa que fez durante a campanha que, se fosse eleito, chamaria os representantes das categorias para conversar sobre reivindicações. "Agora estamos à espera do agendamento de uma reunião para tratar das propostas dos servidores estaduais", afirmou o presidente do Sindpol.
FONTE: O DIA